Exame Oftalmológico em Crianças

          Ainda nos dias de hoje, algumas perguntas são feitas freqüentemente no consultório oftalmológico: É possível realizar o exame em crianças que ainda não estão alfabetizadas? Quando a criança deve ser levada ao primeiro exame oftalmológico? Em que idade a criança passa a ter visão semelhante à do adulto? É necessário realizar o exame em crianças que não mostrem sinais de baixa visão?

          Embora o exame em crianças apresente algumas peculiaridades relacionadas à sua imaturidade e pouca colaboração, em qualquer idade as crianças são examinadas rotineiramente por oftalmologistas pediátricos após a instilação de colírios para a dilatação pupilar.

          Para que a visão da criança possa desenvolver-se normalmente, é importante que não haja qualquer obstáculo à formação de imagem nítida na retina de cada um dos olhos até que a acuidade visual esteja completamente estabelecida, o que ocorre em torno dos seis anos de idade. Quando existem alterações oculares como a catarata, o estrabismo, as oclusões palpebrais, ou a anisometropia (diferença entre os dois olhos de erros refrativos maiores do que três graus), a captação de estímulos visuais é dificultada. Se essa insuficiente estimulação dos centros ópticos ocorrer durante o período de treinamento visual, estabelece-se a ambliopia, que é a baixa visão decorrente de alterações visuais surgidas na infância e que torna-se irreversível se não for tratada precocemente.

          A primeira avaliação oftalmológica pode ser realizada já no berçário pelo pediatra, através do teste do reflexo vermelho na pupila, para avaliar se o eixo visual está livre. Aos dois meses de idade a criança deve ser examinada pelo oftalmologista para excluir a presença de catarata congênita, e aos seis meses de idade é necessária nova avaliação para avaliar o alinhamento ocular e realizar o exame de fundo de olho. Depois disso, a criança deverá retornar ao oftalmologista a cada seis meses para avaliações periódicas.

          A acuidade visual do recém-nascido se desenvolve muito rapidamente nos primeiros três meses de vida e ainda melhora até os 3 ou 4 anos de idade, quando acredita-se que o sistema visual esteja totalmente desenvolvido. A estimulação visual é ainda possível até os oito ou dez anos de idade para a melhora da visão, mas a partir deste período o tratamento da ambliopia terá poucos resultados.

          Existem inúmeras doenças oculares que surgem na infância e que podem prejudicar o desenvolvimento visual. Algumas delas estão presentes já no momento do nascimento, enquanto outras se desenvolvem durante os primeiros anos de vida, e na maioria dos casos essas enfermidades não são percebidas pelos pais ou familiares.

          A visão é um dos mais importantes sentidos no desenvolvimento neuropsicomotor normal da criança. A deficiência visual compromete o desenvolvimento da motricidade e da capacidade de comunicação na criança porque gestos e condutas sociais são aprendidos pela informação visual.

          O exame oftalmológico preventivo e o tratamento precoce de possíveis doenças oculares são a melhor maneira de proporcionarmos à criança um adequado desenvolvimento visual e uma melhor integração com o seu meio.

 

 

Dra. Virgínia Delacroix Cury – CRM-DF 5618

Médica Oftalmopediatra

Menu